Diretor

A escolha da carreira profissional, o primeiro passo rumo à vida adulta

A fase do vestibular é reconhecidamente uma das mais desafiadoras para os alunos do Ensino Médio. Além do concurso, eles convivem com outro importante momento: a escolha da carreira profissional.

Nesse contexto, os alunos alimentam muitas expectativas, pois a decisão envolve vários fatores. E a primeira lição que o aluno – e também os pais – precisa entender é que ter dúvidas não é um problema, elas só precisam ser tratadas com a importância que merecem!

A família tem um papel fundamental. Além de visar o tão almejado sucesso, ela precisa dar apoio para que a escolha da carreira tenha a vocação do aluno como um “GPS” da decisão. É o respeito ao DNA vocacional do aluno que garantirá uma jornada respaldada por realizações e não por frustrações.

Por parte do jovem, o desejo de corresponder às expectativas das pessoas queridas é intrínseco a esse processo de decisão. Com isso, o papel da família  é abrir janelas! Dar espaço para que o jovem fale abertamente sobre suas intenções. Por exemplo, se ele disser que decidiu ser astronauta ou domador de leões, a primeira resposta definirá o quanto ele seguirá aberto para dividir o que pensa e sente com seu núcleo familiar. Logo, a receptividade do núcleo familiar e orientações seguras e empáticas definirão a forma como o jovem vai lidar com esse divisor de águas em sua jornada.

Na etapa do Ensino Médio, os programas da escola fomentam ações de cunho social, estratégias de autoconhecimento em situações cotidianas, orientações embasadas em princípios e valores etc. Entendemos que estas ações criam margens que delimitam esse rio de possibilidades que os alunos estão atravessando.

Essas iniciativas apoiam o aluno em seu percurso ao vestibular, calibrando as ansiedades intrínsecas à fase. Mediamos entre escola, família e aluno para identificar as fragilidades que afetam o rendimento, as escolhas e a formação do jovem.

Sabemos que, junto à necessidade de corresponder aos conteúdos dos vestibulares, a escolha acrescenta muita indecisão ao processo. Por isso, respaldo, apoio e orientação levam o aluno ao amadurecimento.

O exercício de dividir constrói uma rota que o aluno usará para buscar conselhos e compartilhar a demanda emocional existente no processo de decisão que envolve vocação, profissão e carreira.  

Aqui em nosso Colégio realizamos uma semana de Orientação Profissional, em que são realizadas atividades para mostrar a trajetória de ex-alunos que hoje são profissionais de destaque em suas áreas e de outros convidados renomados, que compartilham suas trajetórias e vivências com os jovens.

O evento é precedido de um levantamento de perfis dos alunos e variáveis dentro de cada perfil. Percebemos a forma como os educandos se projetam na história dos convidados, esclarecem dúvidas e percebem possibilidades. Em várias edições passadas, tivemos alunos que até afirmaram ter se inspirado na  palestra do convidado para a escolha da carreira.

Acreditamos que cada jovem tem uma vocação esplêndida, capaz de transformar realidades. Em nosso Colégio, temos a certeza de que há uma semente de cidadão do mundo em cada aluno. E nosso papel é facilitar a jornada rumo à potencialidade máxima de cada um.

E para o momento dos exames vestibulares, algumas dicas aos alunos: manter um estudo organizado e disciplinado, que não focalize apenas a área de afinidade; equilibrar o que precisa ser estudado e o que precisa ser apenas revisado; administrar o tempo e a forma de estudar (a rotina disciplinada é propulsora!). Além disso, manter o foco é crucial para um bom resultado! Não esqueçam que a receita do sucesso no vestibular é formada por três ingredientes infalíveis: esforço, dedicação e organização. A aprovação é só o resultado dessa combinação.

Prof. Dr. GEZIO D. MEDRADO – Diretor Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *