Reforma do Ensino Médio avança com a aprovação da BNCC

Dr. Gézio Medrado

 

Após três anos de intensos debates, alterações, divergências e críticas por parte de alguns especialistas, finalmente a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio foi aprovada pelo Conselho Nacional de Educação.

Já abordamos esse tema aqui algumas vezes, tratando principalmente dos impactos que a Reforma traria para a educação e cotidiano dos alunos.

Agora, com a aprovação do documento – que consideramos como uma das mais importantes mudanças educacionais já realizadas nos últimos tempos – é preciso retomar o assunto, não só para reafirmar sua importância, mas principalmente para confirmar que o Colégio Batista Brasileiro está alinhado e preparado para enfrentar os desafios impostos por essas e outras mudanças na área educacional.

O documento, que servirá como orientação para os currículos de todas as escolas públicas e privadas do país, prevê que apenas português e matemática tenham carga horária obrigatória nos três anos do ensino médio. Os demais conhecimentos poderão ser distribuídos ao longo dos três anos (sejam concentrados em um ano, ou em dois, ou mesmo em três), sendo que a opção pela distribuição fica por conta das escolas.

A BNCC tem caráter normativo e não precisa passar por votação no Congresso nem sanção presidencial. Porém, ela ainda precisará ser homologada pelo ministro da Educação. A previsão é de que as mudanças entrem em vigor no início do ano letivo de 2022.

Com a proposta de flexibilizar a educação dos jovens tornando-os mais preparados para o ingresso no mercado de trabalho, a Reforma está alinhada ao que países de primeiro mundo fazem, ou seja, permitir que os alunos busquem conhecimentos de acordo com sua opção de carreira. O que espera-se é uma maior interação dos alunos com novas tecnologias, e que possam sair do Ensino Médio com uma ideia de qual caminho profissional pretendem trilhar.

As mudanças propõem ainda que o desenvolvimento do aluno deixe de ser medido pela pontuação (aplicação) nas disciplinas, mas sim pela sua capacidade de resolver problemas. Assim, o currículo passa a ser mais focado no cotidiano e permite interseccionalizar a aprendizagem.

Como forma de exemplificar aos pais e alunos como será o processo de aprendizado a partir do novo documento, pinçamos alguns pontos da redação oficial da BNCC que acreditamos ser importantes.

A área de matemática e suas tecnologias terá como foco “consolidar os conhecimentos desenvolvidos na etapa anterior e agregar novos, ampliando o leque de recursos para resolver problemas mais complexos, que exijam maior reflexão e abstração. Também devem construir uma visão mais integrada da Matemática, da Matemática com outras áreas do conhecimento e da aplicação da Matemática à realidade”.

Em ciências da natureza e suas tecnologias, o foco é tratar “a investigação como forma de engajamento dos estudantes na aprendizagem de processos, práticas e procedimentos científicos e tecnológicos, e promover o domínio de linguagens específicas, o que permite aos estudantes analisar fenômenos e processos, utilizando modelos e fazendo previsões. Dessa maneira, possibilita aos estudantes ampliar sua compreensão sobre a vida, o nosso planeta e o universo, bem como sua capacidade de refletir, argumentar, propor soluções e enfrentar desafios pessoais e coletivos, locais e globais”.

Já em ciências humanas e sociais aplicadas, a BNCC incorpora as áreas de filosofia e sociologia, cujo foco será “o aprofundamento e a ampliação da base conceitual e dos modos de construção da argumentação e sistematização do raciocínio, operacionalizados com base em procedimentos analíticos e interpretativos. Nessa etapa, como os estudantes e suas experiências como jovens cidadãos representam o foco do aprendizado, deve-se estimular uma leitura de mundo sustentada em uma visão crítica e contextualizada da realidade, no domínio conceitual e na elaboração e aplicação de interpretações sobre as relações, os processos e as múltiplas dimensões da existência humana”.

Em resumo, todas as expectativas são de que os alunos possam desenvolver outras habilidades cognitivas. Cientes de que essas habilidades são fundamentais para o desenvolvimento integral, o Colégio Batista Brasileiro, mesmo antes da obrigatoriedade da BNCC, já trabalhava com um currículo focado em desenvolvê-las. Atualmente os alunos do Ensino Médio do Colégio são motivados a buscar e ampliar sua autonomia, criatividade, inteligência emocional e pensamento crítico.

E como forma de reafirmar nosso compromisso com o desenvolvimento dos alunos, lembramos que a equipe de professores do Colégio Batista Brasileiro está sempre à disposição para esclarecer qualquer dúvida relacionada a esse e a outros temas que impactam o dia a dia em sala de aula. Contem conosco e lembrem-se de que, para nós, a parceria família-escola é a base para o sucesso de nossos alunos na vida adulta.